Um esforço conjunto de polícias de diversas partes do mundo desligou um dos maiores mercados clandestinos da dark web, segundo anúncios de agências dos Estados Unidos, Alemanha e Holanda liberados nesta última sexta-feira (3).

Wall Street Market (WSM), como era conhecido o site, era o alvo de uma investigação multinacional de 1,5 ano. Três alemães foram presos nos dias 23 e 24 de abril na Alemanha pelo suposto papel deles em criar e administrar o site que vendia drogas ilegais, documentos, armas e dados.

“WSM também foi um dos maiores e mais volumosos mercados online de todos os tempos”, disse o agente especial do FBI Leroy Shelton, em uma queixa criminal que foi liberada na última sexta-feira.

O site é o último da linha de mercados clandestinos a ser derrubado. O mais famoso deles foi o Silk Road, um site anônimo que funcionou entre 2011 e 2013, até que foi tirado do ar em uma grande investigação do FBI que resultou em pena perpétua para Ross Ulbricht, preso por ter concebido e gerenciado o site. Muitos sites desde então copiaram o modelo do Silk Road e adaptaram para suas necessidades — e, como as autoridades policiais colocaram sites lucrativos como prioridade, boa parte deles acabou sendo alvo por operações policiais coordenadas por vários países.

O Wall Street Market tinha 1,15 milhão de contas cadastradas de consumidores e 5.400 vendedores registrados, segundo o Departamento de Justiça dos Estados Unidos. No entanto, não leve estes números muito a sério — usuários são anônimos, então vendedores e compradores frequentemente criam múltiplas contas, e não há uma forma de se conseguir uma contagem realista de indivíduos ativos em mercados como este.

Uma forma melhor de se entender a escala de mercados clandestinos como este é olhar o dinheiro envolvido por trás deles. No mês passado, os administradores do Wall Street Market obtiveram cerca de US$ 11 milhões de consumidores, segundo as autoridades

“Havia um ‘golpe de saída’ que supostamente estava rolando no mês passado quando administradores do WSM roubaram moedas virtuais de um contrato de depósito do marketplace e contas de usuários — que os investigadores acreditam somar em quase US$ 11 milhões — e então desviou este dinheiro para as contas deles. Golpes de saída são comuns em grandes marketplaces clandestinos, que tipicamente mantêm dinheiro em um contrato de depósito enquanto um fornecedor vende bens ilícitos”, disse o escritório da promotoria de Los Angeles em um comunicado divulgado nesta sexta-feira.

Esta aqui é uma captura de tela do site por volta de março de 2018, que está na denúncia criminal dos Estados Unidos:

Captura de tela do Wallstreet MarketPelo jeito, havia muita venda de MDMA no Wall Street Market

“Estas duas investigações mostram a importância da cooperação policial a nível internacional e demonstram que a atividade ilegal na dark web não é tão anônima quanto os criminosos podem pensar”, disse Catherine de Bolle, diretora executiva da Europol, em um comunicado.

A queda do Wall Street Market marca a maior derrubada de um mercado clandestino na web desde o fim do AlphaBay, que foi tirado do ar em 2017.