Alexa pode ser a chave para resolver um caso já bizarro da Flórida, em que uma mulher foi morta por uma lança com uma lâmina de 30 centímetros no peito. A polícia conseguiu um mandado de busca para obter gravações de um Amazon Echo e um Echo Dot da casa, que eles acreditam ter testemunhado o possível assassinato, segundo o Sun Sentinel.

O incidente em questão aconteceu em julho: Sylvia Galva Crespo, 32 anos, morreu em sua casa em Hallandale Beach, Flórida, após um misterioso acidente que a deixou esfaqueada no peito com uma lança inexplicavelmente já existente no apartamento. Pelo menos, essa é a explicação que seu marido, Adam Crespo, 43 anos, deu à polícia antes de ser acusado de homicídio doloso.

A polícia agora acredita que os dispositivos Amazon Echo da casa podem ter sido acionados  no momento do incidente, tornando assim a assistente de voz Alexa uma possível testemunha, informa o Guardian. Parece um episódio de Black Mirror.

“Acredita-se que evidências de crimes, gravações em áudio capturando o ataque à vítima Silvia Crespo que ocorreu no quarto principal…possam ser encontradas no servidor mantido pela ou para a Amazon”, explicou a polícia em um documento segundo o Sun Sentinel. Um porta-voz do departamento disse que as autoridades receberam as gravações e estão atualmente analisando-as.

Quaisquer novas evidências – se houver – que a polícia possa coletar dessas gravações permanecem incertas. Embora não seja nenhum segredo que seus alto-falantes inteligentes estão  ouvindo você, a Amazon sempre afirmou que Alexa apenas registra trechos curtos após a “palavra de ativação” ter sido acionada e não conversas privadas completas.

No entanto, pesquisadores encontraram recentemente muitas evidências de que os hackers usam esses dispositivos para esquemas de espionagem e phishing, então sabemos que eles têm essa capacidade. Se a Amazon deve ou não usá-la com alguma regularidade, já é outra questão.

Em resposta a um pedido de comentário, um porta-voz da Amazon forneceu a seguinte declaração ao Gizmodo:

“A Amazon não divulga informações de clientes em resposta a demandas do governo, a menos que sejamos obrigados a fazê-lo para cumprir uma ordem legalmente válida e de execução. A Amazon recusa demandas não específicas ou inadequadas como procedimento padrão”.