A Microsoft está trabalhando duro no Threshold, que deve ser lançado como Windows 9 em abril. E um de seus recursos deve ser a assistente pessoal Cortana. Na verdade, o Neowin diz que ela está rodando em versões mais estáveis do sistema na forma de um app.

De acordo com o Neowin, o Windows 9 ainda está em seu início, mas “o desempenho da Cortana no desktop está melhorando, e ela parece estar a caminho de ser incluída na versão final”.

Ela funcionaria como um app, ocupando 25% da tela, no qual você pode digitar comandos ou emiti-los por voz. A Cortana deve manter seu formato de círculo e animações.

Acredita-se também que a Cortana se integrará ao sistema, o que não deve ser um problema: desde o Windows Vista, existe o recurso Reconhecimento de Fala, que permite abrir e fechar programas, realizar comandos e ditar frases sem usar mouse nem teclado. Funciona assim:

O recurso, presente no Windows Vista/7/8.x, está disponível para os idiomas inglês, francês, espanhol, alemão, japonês e mandarim – nada de português.

Mas a Cortana é diferente, por se tratar de uma assistente pessoal. Ela é “uma importante área de investimento para o Windows”, dizem fontes ao The Verge. Como nota Mary Jo Foley, do ZDNet, a integração da assistente ao Windows (e, no futuro, ao Xbox) estaria em compasso com a estratégia “One Windows” da Microsoft.

Este não é o único esforço para levar voz a PCs: há algum tempo, a Intel fez parceria com a Nuance para incluir o assistente Dragon em ultrabooks. A Apple também quer colocar voz nos Macs. Na semana passada, surgiu uma patente que envolvia levar a assistente virtual Siri ao desktop.

Rumores dizem que o Windows 9 trará múltiplos desktops e perderá a barra de Charms. A Microsoft já confirmou que trará o menu Iniciar de volta, junto a apps Metro que rodam na área de trabalho. O Windows 9 deve ser lançado em beta público no final do ano. [Neowin via ZDNet e The Verge]