Enquanto o evento Samsung Unpacked, marcado para esta terça (11), não chega, temos outro vazamento do Galaxy Z Flip para manter você entretido até lá.

Conforme compartilhado pelo Engadget na sexta-feira (7), um informante revelou fotos que supostamente mostram o novo telefone dobrável da empresa. Como muitas renderizações e até um vídeo de hands-on já apareceram, novas fotos podem até não parecer muito importantes. Mas elas elucidam alguns rumores, como, por exemplo, o tamanho desse telefone.



Foto: Engadget

Para começar, o vinco. E que vinco. Ele não era tão visível no vídeo anterior que mencionei, provavelmente porque o dispositivo em questão parecia uma espécie de amostra de engenharia, mas nessas novas fotos é muito difícil não ver.

Para ser justo, porém, é um problema que, até o momento, nenhuma outra empresa conseguiu resolver. Um vinco, embora seja meio feio, pode dizer um pouco a respeito da durabilidade do telefone: há rumores de que a Samsung optou por vidro extra-fino em vez de um filme plástico para a tela do Galaxy Z Flip.

Desta vez, a empresa optou por uma dobradiça horizontal, diferente da vertical usada com o Galaxy Fold. Assim, o Galaxy Z Flip se dobra como um telefone flip tradicional, semelhante ao Razr da Motorola. A diferença é que ele é muito longo. Vazamentos anteriores sugeriram que sua tela mediria 6,7 polegadas, e essas novas imagens apenas reforçam que o aparelho é compridão.

Conforme observado pelo Engadget, a proporção 22:9 do telefone é claramente visível nas fotos em que está aberto. Quando fechado, parece possuir uma câmera de lente dupla e um monitor externo para dar uma olhadinha em notificações e em outras informações rápidas.

Ainda não há notícias de nenhum lançamento oficial, apesar de alguns rumores sugerirem que ele poderá ser vendido em alguns países e regiões no Valentine’s Day, dia 14 de fevereiro, ao preço de US$ 1.400. É bem caro, mas ainda é mais barato que o novo Razr da Motorola — lá fora, ele custa US$ 1.500; por aqui, R$ 9 mil.

O Galaxy Z Flip tentará evitar as mesmas dores de cabeça que atormentaram a estreia do Razr até agora. A Motorola adiou o lançamento do seu aparelho, deu um banho de água fria nas grandes expectativas ao avisar que a tela poderia ter “lombadas e protuberâncias” e brigou publicamente com a CNET por causa de um teste que o site fez. A viagem no tempo para os anos 2000 está se tornando meio ruim para a Motorola.

[Engadget]