A Samsung acaba de anunciar uma grande atualização para o seu smartwatch Gear, que vem firmando espaço entre o Apple Watch e relógios com Android Wear. Enquanto a concorrência adota o sistema operacional do Google, a coreana continua a preferir sua plataforma Tizen.

Os problemas do Apple Watch, um ano depois
Smartwatches Pebble ganham monitor de batimento cardíaco e telas maiores

O Gear S3 mantém o controle giratório de seu antecessor (Gear S2), assim como a resolução 360 x 360 com tela always-on, e resistência IP68 a água e poeira.

E há diversas melhorias aqui: ele tem visual ainda mais próximo de um relógio, usa vidro Gorilla Glass 3 (aparentemente tão durável ​​quanto cristal de safira), traz uma bateria maior (380 mAh contra 250 mAh) que dura até quatro dias, e vem embutido com Samsung Pay.

Isso significa que temos o tradicional chip NFC, tal qual outros smartwatches, como também o MST (transmissão segura magnética), que permite ao relógio simular a tarja magnética de seu cartão, fazendo-o funcionar com mais maquininhas.


De cima para baixo: Gear S3, Gear Fit 2 e Gear S2

O relógio também pegou um truque do excelente Gear Fit 2: ele permite transferir até 4 GB de música ou fazer streaming direto do Spotify.

Por rodar Tizen, há muito menos apps disponíveis para o Gear S3 que na concorrência; além disso, a compatibilidade é melhor se você usar um smartphone da Samsung (alguns apps não podem ser instalados com aparelhos de outra fabricante, por exemplo).

À primeira vista, no entanto, você não notará nada disso: o que se destaca é o tamanho. O Gear S3 é enorme. Ele tem 46 milímetros de largura. Isso é 4 mm a mais que o Gear S2, e 8 mm mais largo que meu Apple Watch de 38 mm já grande (para um pulso fino).

Para perspectiva, a média dos relógios masculinos varia entre 40 e 42 mm de largura; relógios femininos ficam na faixa de 28 a 32 mm. Em outras palavras, o Gear S3 ficará destacado no seu pulso como algo da Breitling ou da Uboat. E a Samsung tem mesmo o desejo que ele seja uma peça de prestígio.

O Gear S3 virá em duas versões quase idênticas para além das aparências externas: um modelo mais escuro e mais robusto chamado Frontier (com versões Wi-Fi e 4G); e um modelo tradicional Classic de aço inoxidável (apenas na versão Wi-Fi).

De longe eles são relógios lindos, e a capacidade de personalizar a face do relógio (a grande maioria dos 10.000 apps disponíveis na loja do Gear são para tanto) significa que você pode fazê-lo parecer com um Breitling de US$ 10.000.

O Gear S3 estará disponível este ano, ainda sem preço definido.

[Samsung]


Gear S2 à esquerda; Gear S3 à direita

Fotos por Alex Cranz/Gizmodo