A Soylent é uma empresa que faz substitutos alimentícios na forma de pó e de líquido. Há um mês, ela lançou a Food Bar, barrinha nutritiva com um oitavo da recomendação diária de calorias. Desde então, a comunidade r/Soylent no Reddit e o próprio fórum da empresa vêm acumulando reclamações sobre o produto.

Soylent, a “comida do futuro”, agora pode substituir sua dose de café pela manhã



Uma discussão no subreddit da Soylent diz que a barrinha deixa o usuário “tão enjoado que ele precisa vomitar, seguido de diarreia horrível; ou ele não fica enjoado, mas ainda assim tem diarreia incontrolável”.

Outra discussão no Reddit começa assim:

… parece haver evidências crescentes de que sintomas semelhantes a intoxicação alimentar podem estar ligados ao consumo da Food Bar… No início de setembro, eu tive vômitos intensos por cerca de 3-4 horas depois de comer uma Food Bar. O vômito durou várias horas. Acho que foi provavelmente o pior episódio de vômito pelo qual já passei. Eu não tive diarreia.

Um usuário do Reddit acredita que o lote de barras com o código “JUL17 1966” está deixando as pessoas doentes. “Eles deveriam fazer recall disso”, escreveu ele. A empresa teria emitido um reembolso para ele.

Enquanto isso, um usuário do fórum da Soylent relata que outro lote, com o código “14JUL17 0716”, também induz vômitos. Outra pessoa afirma que, desde o início da discussão há um mês, “houve 21 relatos de vômito”.

A causa do problema não parece ser limitada a um único lote ruim. Há uma chance de que este poderia ser o resultado de contaminação, um risco sempre presente quando se lida com produtos alimentícios. Por exemplo, este ano, houve um surto de E. coli nos EUA que resultou no recall de 4,5 toneladas de farinha, e as pessoas ainda estão sofrendo as consequências.

No entanto, em comunicado ao Gizmodo, a Soylent diz que pediu as barras problemáticas de volta, enviou para análise microbiológica, “e todos os testes voltaram negativos”. Eles até comeram algumas das barrinhas, “sem efeitos adversos”.

No comunicado, a empresa avisa que alguns indivíduos podem ter “alergia, intolerância ou sensibilidade” a ingredientes como a soja, a sucralose, ou a certas vitaminas e minerais. Além disso, as barrinhas vêm com o seguinte aviso: “crianças, mulheres grávidas, amamentando ou que possam engravidar devem consultar o médico antes de consumir a Soylent Bar”.

A Soylent Bar contém 250 calorias, tem sabor de caramelo e usa um ingrediente novo – uma flor de algas – além da proteína de soja e da isomaltulose (substituto do açúcar comum que é liberado mais devagar no sangue). Ela custa US$ 24 pela caixa com doze unidades.

soylent food bar 2

A Soylent nunca enfrentou quaisquer violações de saúde pública, mas no ano passado, a empresa supostamente violou uma lei na Califórnia que “obriga as empresas a fornecer aos consumidores avisos sobre os produtos que contêm quantidades detectáveis de substâncias químicas nocivas”.

A organização sem fins lucrativos As You Sow abriu uma ação judicial contra a Soylent devido aos níveis de chumbo em seu produto Soylent 1.5 em pó, que estavam “12 a 25 vezes acima do nível do Safe Harbor da Califórnia”.

Claro, trata-se de um produto diferente; mas, no mínimo, levanta questões interessantes sobre como a FDA (análoga americana à Anvisa) monitora a Soylent, que se vende mais como uma empresa de tecnologia, em vez de uma empresa de alimentos.

Este é o comunicado completo da Soylent:

Através dos nossos canais de suporte, descobrimos um número limitado de casos de pessoas que sofreram de indigestão ou desconforto após o consumo de nossa Soylent Bar. Até o momento, o número de reclamações que recebemos representa menos de 0,03% do número de barras que vendemos.

Embora este seja um número extremamente pequeno de reclamações, e todos os produtos alimentares embalados e preparados tenham algum risco de intolerância, levamos cada queixa muito a sério.

A segurança e a qualidade de nossas barras é verificada através de um programa padrão abrangente da indústria de alimentos. Primeiro, nós obtemos insumos exclusivamente de fornecedores qualificados, e usamos apenas os ingredientes que incluem um certificado de análise (COA) para critérios físicos, químicos e microbiológicos rigorosos.

Em segundo lugar, as barras são produzidas em uma fábrica examinadas pela FDA e com certificação GFSI, sob um programa completo de segurança alimentar e qualidade. Por último, as barras são submetidas a um programa adicional de testes microbiológicos antes de serem liberadas pelo cofabricante e enviadas para os nossos armazéns.

Após estes relatos, recuperamos as barras de nossos consumidores e pessoalmente consumimos muitas delas sem efeitos adversos. Nós também as enviamos para análise microbiológica posterior, e todos os testes voltaram negativos. Com base nisto, continuamos muito confiantes na segurança das barras.

Uma certa subpopulação de indivíduos pode ter alergia, intolerância ou sensibilidade aos ingredientes como a soja e/ou a sucralose, ou a certas vitaminas e fontes minerais, e devem consultar o médico antes de continuar a consumir estes produtos.