Após críticas sobre sua nova política de privacidade, o WhatsApp recuou um pouco nas consequências planejada para os usuários que não aceitarem os novos termos. Só que esse “recuou” é bem subjetivo, já que a companhia segue firme na ideia de, goste ou não, as diretrizes atualizadas serão para todos. E quem não aceitá-las terá o app praticamente inutilizado.

Em uma atualização da página de perguntas frequentes da empresa, o WhatsApp esclarece que nenhum usuário terá sua conta excluída ou limitada caso não aceite as novas políticas. Isso por si só já representa uma mudança de postura por parte da empresa que, em fevereiro, logo quando a página foi colocada no ar, disse especificamente que aqueles que não aceitassem as novas regras da plataforma “não teriam funcionalidade total”.

E aí entra o que comentamos no primeiro parágrafo: a ameaça de perder funcionalidade ainda existe — ela só não será automática.

“Por um curto período, você poderá receber chamadas e notificações, mas não poderá ler ou enviar mensagens do aplicativo”, escreveu o WhatsApp na época. Embora o prazo para aceitar as novas regras fosse no início de fevereiro, a reação negativa que caiu em cima da companhia fez com que o prazo fosse adiado para 15 de maio — ou seja, já neste sábado.

Os usuários que já concordaram com a nova política não notarão nenhuma diferença em sua experiência diária com o WhatsApp, nem as pessoas que não o fizeram, pelo menos agora no início.

“Depois de um período de várias semanas, o lembrete [de aceitar] que as pessoas recebem acabará se tornando persistente”, disse o app, acrescentando que os usuários que receberem esses avisos verão o serviço bloqueado de maneira bastante significativa. Por algumas semanas, eles não poderão acessar conversas, mas ainda serão capazes de atender chamadas de áudio e vídeo. Após esse período de carência, o WhatsApp não vai mais funcionar até que os novos termos sejam aceitos.

Imagem: WhatsApp
Alertas serão enviados aos usuários que ainda não aceitaram os novos termos. Imagem: WhatsApp

Portanto, embora o WhatsApp não esteja tecnicamente desativando o aplicativo, nem excluindo as contas dos usuários, a empresa está tornando a ferramenta inutilizável para quem não concordar com as suas políticas.

“Passamos os últimos meses fornecendo mais informações sobre nossa atualização para usuários em todo o mundo. Nesse tempo, a maioria das pessoas aceitou a atualização e o WhatsApp continua crescendo. No entanto, para aqueles que ainda não tiveram a chance de fazer isso, suas contas não serão excluídas ou perderão a funcionalidade em 15 de maio. Continuaremos a fornecer lembretes aos usuários do WhatsApp nas próximas semanas”, contou um porta-voz do WhatsApp ao site The Verge.

Assine a newsletter do Gizmodo

Vale mencionar que se você mantiver o aplicativo instalado, mas ainda se recusar a aceitar a política por qualquer motivo, o WhatsApp não excluirá sua conta por causa disso. As regras atuais do mensageiro destacam que contas só passam por um processo de exclusão caso o usuário não se conecte ao app por um período de até 120 dias.