O YouTube tem perdido espaço para alguns concorrentes, principalmente quando se trata de livestreams. O crescimento de outras plataformas está bastante relacionado com a migração de criadores, que encontram ferramentas melhores para a monetização do trabalho no Twitch, por exemplo.

• O YouTube Music está muito longe de ser um candidato a destronar o Spotify
• Player de vídeo do YouTube agora se adapta a diferentes formatos de conteúdo

Numa tentativa de segurar esses canais, o YouTube lançou funcionalidades similares aos da concorrência e está pagando para que os canais ofereçam alguma exclusividade e promovam as novidades.

De acordo com uma reportagem da Bloomberg, a plataforma está oferecendo “alguns milhares de dólares” para que os criadores utilizem as funcionalidades de doação e de assinatura paga, que foram lançadas no começo deste ano. Dessa forma, os canais deixariam de migrar para a Twitch e abandonariam plataformas de assinaturas como o Patreon.

Um desses novos recursos do YouTube se chama Super Chat e permite que os espectadores deem uma “gorjeta” ao canal durante uma transmissão ao vivo para que seu comentário apareça na tela por algum tempo. É algo bem parecido com as doações e “bits” do Twitch.

O recurso não decolou, apesar de permitir que YouTubers arrecadem mais. Isso porque a plataforma do Google fica com 30% de toda a grana que entra, o que desincentivou muitos criadores. O jeito que a empresa encontrou de contornar isso foi pagando para os canais.

Outra funcionalidade que tem sido promovida por YouTubers é o serviço de patrocínio dos canais.

Aparentemente, uma das condições desse contrato que o YouTube tem fechado com criadores é a prioridade na publicação dos conteúdos. A plataforma não proíbe que os canais promovam seus vídeos e livestreams em outros meios, mas exige que o YouTube seja o primeiro a recebê-los.

[The Verge, Bloomberg]