As empresas seguem tentando criar um tablet educativo. Há duas semanas, a Acer anunciou que o Chromebook Tab 10, um tablet de nome confuso que roda Chrome OS, havia sido projetado pensando no dia a dia de professores e estudantes. Dias depois, a Apple anunciou um novo iPad recheado de alguns novos apps educativos e com suporte ao Apple Pencil. Mas, para mim, nenhum destes dispositivos realmente atingiu o objetivo, pois eles continuam a ignorar a única função necessária para a real produtividade: o teclado.

• Google apresenta tablet Chromebook Tab 10 voltado para educação com olhos na Apple
• Chrome OS, e não o Android, deve ser o futuro dos tablets do Google
• Uns caras conseguiram fazer o Windows rodar em um Chromebook

É claro, o novo iPad possui o esquisito teclado da Logitech que você pode comprar depois, mas ele não oferece suporte ao Smart Keyboard que a Apple fez para o iPad Pro. Também é possível conectar um teclado Bluetooth ao Chromebook Tab, mas estas não parecem soluções bem pensadas. Para ajudar a lidar com estes empecilhos, a HP fez o Chromebook X2, o primeiro Chromebook acoplável cujo teclado vem de fábrica.

Em essência, isso faz do Chromebook X2 uma versão de baixo orçamento do Surface Pro, com Chrome OS em vez do Windows. No entanto, existem algumas pequenas diferenças. Em vez de usar o apoio para retirar o tablet do teclado, o sistema possui uma dobradiça magnética que funciona de forma mais semelhante a laptops tradicionais.

Como o Surface, as entranhas do Chromebook X2 são contidas inteiramente no tablet do aparelho, cuja tela oferece suporte total à caneta stylus Active Pen, da HP, que, assim como o teclado, também é oferecida de fábrica.

O Chromebook X2 deve ser um pouco mais potente que o laptop Chrome OS tradicional, graças à tela de toque de 12,3 polegadas e à resolução 2400 x 1600, ao processador Intel Core m3-7y30 e aos 4 GB de RAM. O aparelho também possui alto-falantes estéreo produzidos pela Bang and Olufsen, duas entradas USB Type-C e uma entrada de fone de ouvido.

Mas, por outro lado, apesar de mais potente que os demais notebooks, o Chromebook X2 também é mais caro, custando a partir de US$ 600. Por este valor, gostaria que a HP oferecesse mais que apenas 32 GB de armazenamento eMMC, mesmo que seja possível aumentar este tamanho com a entrada de cartão microSD do dispositivo.

Para os que dizem que este novo dispositivo pode bater de frente com o iPad Pro de 12,9 polegadas, essa não é uma comparação necessariamente incorreta. No entanto, como o Surface, o iPad Pro não vem com um teclado ou uma caneta stylus de fábrica, eles são extras opcionais. Isso acrescenta mais US$ 270 aos US$ 800 do iPad Pro mais simples, o que acaba custando US$ 50 a mais que o necessário para adquirir um Surface Pro com a caneta Surface Pen e o teclado Type Cover.

Então, caso você esteja buscando um Chromebook mais potente e não queira gastar US$ 1.000 no Pixelbook do Google, o Chromebook X2 parece ser a melhor opção. Mas nós não saberemos até julho, quando ele será oficialmente lançado.

Imagem do topo: HP