Por meio do seu perfil no Twitter o CEO da SpaceX, Elon Musk, disse que um vazamento “relativamente pequeno” de metano foi a causa da explosão durante um voo experimental de um protótipo da espaçonave Starship SN11.

Segundo Musk, a fase de subida, transição para a horizontal e controle durante a queda livre seguiram conforme o planejado. Mas, ao religar os motores Raptor para o pouso da aeronave, um pequeno vazamento de metano (CH4) começou, o que gerou a explosão em um deles, que acabou queimando parte do sistema aviônico do protótipo. Contudo, o empresário afirmou que até domingo tudo estará consertado.

Somente neste ano, este é o quarto modelo testado pela SpaceX que sofre algum tipo de incidente durante seu teste. Mesmo seu antecessor, o foguete SN10, acabou explodindo minutos depois de ter conseguido realizar o primeiro pouso suave em um voo de teste. Em 2019, já tinha ocorrido uma das primeiras explosões de protótipos do projeto Starship. Neste caso, o MK1 estava sendo abastecido com oxigênio líquido para um teste de pressurização.

O objetivo do Starship é ser a próxima geração de espaçonaves da empresa, de forma a substituir as espaçonaves Falcon 9 e a cápsula Dragon. De acordo com a SpaceX, o modelo ideal que eles estão configurando para missões orbitais terá cerca de 120 metros de altura, 28 motores Raptor em seu primeiro estágio e depois apenas seis motores no estágio superior, além de dispor de uma carga útil de 100 toneladas. Em órbita, ele poderá receber um novo suprimento de combustível feito de metano e oxigênio líquido para continuar e transportar sua carga pesada — e eventualmente pessoas — para destinos mais distantes, como a Lua e Marte.

O estágio de propulsão será impulsionado pelo booster Super Heavy, tornando o veículo Starship totalmente reutilizável ​​para limitar os custos de lançamento, o que vai permitir a realização de várias viagens intergalácticas.

Assine a newsletter do Gizmodo

O próximo foguete Starship da SpaceX, designado SN15, já está se preparando seu voo experimental perto da praia de Boca Chica, no sul do Texas, EUA. Inclusive, suas principais modificações serão realizadas nos motores, como forma de aprendizado com o que ocorrido ao SN11. Entretanto, a próxima grande atualização tecnológica será ainda neste ano com o Starship SN20. De acordo com Musk, ele terá “capacidade de órbita com escudo térmico e sistema de separação de estágio”.

Ou seja, a probabilidade de sucesso na subida é bem alta. Será que agora vai dar certo?

[Space Flight Now]