As eleições municipais de 2020 estão previstas para ocorrer em 15 e 29 de novembro, e o Facebook já tem se preparado para o pleito. Nesta terça-feira (4), a empresa anunciou recursos para quem quiser evitar posts patrocinados por políticos ou campanhas no Facebook e no Instagram.

Desta vez, segundo a rede, os usuários poderão bloquear anúncios sobre política e eleições que incluam os selos “Pago por” ou “Propaganda”. Este tipo de publicação começará a aparecer nas redes sociais ainda nesta semana.

Para ter acesso a esta área, basta acessar as preferências de anúncios do Facebook na web e desmarcar a opção para não ver anúncios sobre política e eleições. No app do Facebook vá no menu de três listas (que fica no lado direito inferior no iOS; no Android, fica no canto direito superior), vá em Configurações e escolha Preferências de Anúncios.

Infelizmente, não apareceu no meu perfil, porém deve rolar isso em algum momento ainda nesta semana.

Ainda não aparece a opção de anúncios políticos nas preferências de anúncios do Facebook. Crédito: ReproduçãoAinda não aparece a opção de anúncios políticos nas preferências de anúncios do Facebook. Crédito: Reprodução

Se mesmo assim o usuário se deparar com algum anúncio politico, a companhia sugere que clique nos três pontinhos da publicação (no canto superior direito do post) e reporte ao Facebook, dizendo que aquilo é uma propaganda política. O Facebook, então, analisará a ocorrência.

Desde o escândalo da Cambridge Analytica, o Facebook tem implementado ferramentas para tentar deixar claro na plataforma quem está por trás de anúncios. Com a aparição de anúncios políticos, os usuários poderão tocar sobre o item “Sobre este anúncio” e obter informações sobre quem está bancando, quando já foi gasto, além de um endereço e telefone dos responsáveis pela publicidade.

Fora isso, o Facebook tem feito várias ações para remover os chamados comportamentos inautênticos — pessoas que tentam ocultar a identidade ou fingirem ser repórteres ou jornalistas para espalhar desinformação. Paralelo a isso, o WhatsApp, outra plataforma da companhia, também tem limitado o envio de encaminhamentos e vai passar a exibir um ícone de busca em mensagens que são muito compartilhadas.