Já faz um tempo que o iPhone deixou de lado o leitor de digitais e o sistema Touch ID para apostar no reconhecimento facial e no Face ID. Ao que parece, a linha Mac pode fazer uma mudança parecida.

O 9to5Mac descobriu códigos na terceira versão beta do macOS Big Sur com referências a “PearlCamera”, um codinome interno para a câmera TrueDepth e o Face ID. Outros códigos como “FaceDetect” e “BioCapture” também foram descobertos.



Esses trechos de código são semelhantes aos usados ​​no iOS, mas o 9to5Mac diz que não parecem ter sido reaproveitados no Catalyst da Apple, ferramenta que serve para ajudar os desenvolvedores a criar versões iOS de aplicativos para Mac com facilidade. Ou seja, é provável que a Apple esteja preparando uma versão do Face ID criada especificamente para Macs.

Apesar disso, pode demorar um pouco até que um Mac com uma câmera TrueDepth seja anunciado. Não apenas o código está nos estágios iniciais, mas também é possível que a tecnologia acabe usando os novos chips ARM da Apple para funcionar.

O Neural Engine nos processadores da série A da Apple é uma parte importante do que faz o Face ID funcionar em primeiro lugar. Os primeiros Macs com processadores da Apple devem chegar ainda este ano — possivelmente um MacBook Pro de 13,3 polegadas, talvez um MacBook Air –, mas não está claro se algum novo Mac terá uma câmera TrueDepth.

No momento, você pode desbloquear os MacBook Pros e o MacBook Air com Touch ID ou com um Apple Watch, se tiver um. Isso é bastante conveniente se você estiver trabalhando apenas no próprio laptop, mas minha estação de trabalho atual envolve colocar meu MacBook Pro em um suporte e deixá-lo como uma tela secundária enquanto uso um monitor de 27 polegadas como visor principal. Por isso, o Touch ID fica um pouco longe do meu alcance.

Alguns podem reclamar que a Apple está indo contra seu próprio discurso de proteção da privacidade. A empresa, no entanto, diz que o iPhone e o iPad não mandam seu rosto para a nuvem. Segundo ela, tudo isso é armazenado localmente, no dispositivo, e estas informações nunca são copiadas para o iCloud. Pode ser ingenuidade acreditar nisso, mas também não é como se os recursos de reconhecimento facial como o Windows Hello não existissem.

Além disso, você pode simplesmente não usar. O Face ID no iPad e no iPhone não é obrigatório, e há boas razões para desativá-lo, especialmente se você estiver indo a um protesto. Ainda assim, não levarei meu laptop para fora do meu apartamento no futuro próximo e não há motivos para supor que a Apple não permitirá que você desative o Face ID também nos notebooks. Seja como for, essa é uma opção que eu gostaria de ter. Minha preguiça agradece.