Quando se fala em alto-falantes inteligentes, muita gente pensa na linha Echo, da Amazon, ou na linha Nest, do Google. A Apple também tem seu produto desta categoria, o HomePod, mas com preços altos e pouca compatibilidade com outros serviços, ele não ganhou muita fama. A Apple vai tentar mudar isso com o HomePod Mini, que custa US$ 99.

Com esse preço, o HomePod chega para concorrer com o Echo, da Amazon, e o Nest Audio, lançado recentemente pelo Google. Todos custam a mesma coisa. As linhas concorrentes, porém, ainda têm aparelhos mais baratos e simples, como o Echo Dot e o Nest Mini, que custam US$ 49 lá fora.

O aparelho já era esperado — ouvimos falar dele em vários vazamentos. Ele tem um formato redondo parecido com o dos novos Echo, da Amazon, mas vem com uma superfície sensível ao toque e uma luz multicolorida na parte de cima. O HomePod Mini oferece duas opções de cor, cinza claro e cinza escuro.

A Apple precisou reduzir os componentes de som para fazer um aparelho menor. Por outro lado, a empresa apresentou o que ela chama de áudio computacional para entregar uma boa qualidade de som mesmo com um hardware menor. Além disso, dois ou mais aparelhos desses se entendem bem entre eles: um par pode ser usado para tocar som estéreo, por exemplo.

Captura de tela: Apple

O HomePod Mini usa o chip S5, o mesmo dos Apple Watches Series 5 e SE, no lugar do A8 do HomePod original. A Apple também colocou o chip U1, que permite recursos de Ultra Wideband, o que facilita na hora de se conectar com um iPhone e rastrear a localização na casa. Com o U1, o HomePod Mini também aparece automaticamente no app Home do iOS e promete facilitar na hora de controlar lâmpadas, termostatos e outros itens de casa inteligente.

A Apple também diz ter melhorado a Siri, que tem ficado bem para trás em relação a outros assistentes virtuais, como a Alexa e o Google Assistente. O HomePod Mini pode dar atualizações sobre o que você tem para fazer naquele dia puxando informações do iPhone, entender melhor quem é quem na sua casa reconhecendo a voz de cada um e se conectar ao CarPlay.

Outra novidade é o recurso de comunicação, que serve para mandar recados para quem está em outro cômodo da casa sem precisar ficar gritando. A Alexa já faz isso, mas o recurso da Apple engloba também AirPods, iPhones e Apple Watches. Na demonstração, parece funcionar bem, mas precisamos ver na prática como ele se sai.

E para quem está preocupado com a privacidade mas não a ponto de colocar dentro de casa um aparelho conectado com o microfone aberto o tempo todo, a Apple diz que as solicitações pessoais só funcionam quando o iPhone está em casa com você e que tudo é criptografado.

O HomePod Mini resolve em parte o problema do preço e tenta resolver algumas questões de sua assistente digital. A compatibilidade com outros serviços, porém, segue decepcionante.

A marca anunciou que o aparelho vai funcionar também com os serviços de música Pandora (não disponível no Brasil) e Amazon Music, além do iHeartRadio e do TuneIn para rádios online. Nada de Spotify, entretanto — a empresa sueca de streaming é uma das muitas que compraram briga com a Apple por causa da cobrança de comissões na loja.

No exterior, a pré-venda do HomePod Mini começa em 6 de novembro, e as entregas serão feitas na semana de 16 de novembro. Ainda não há informações sobre preço ou disponibilidade no Brasil.