O Motorola Razr, reedição como smartphone de tela dobrável do clássico V3, estava prometido para o fim do ano no exterior e para janeiro no Brasil. Lá fora, a pré-venda foi adiada. Por aqui, ela também vai começar um pouco depois do previsto. De acordo com um comunicado da empresa, ela começará na quinta-feira que vem, dia 6 de fevereiro.

A pré-venda será realizada nas lojas físicas e online da própria Motorola e nas operadoras Claro, Vivo e TIM. O preço e a data de entrega do aparelho no Brasil ainda não foram revelados. Nos EUA, o Razr vai custar US$ 1.500 e começar a ser despachado para os consumidores em 25 de fevereiro.

O comunicado da Motorola para o Brasil não menciona nenhum motivo para o atraso de janeiro para fevereiro da pré-venda. Nos EUA, ela alegou que a decisão se deu para ajustar a disponibilidade do aparelho à alta procura.

O Razr não foi o único aparelho de tela dobrável a sofrer com atrasos. O Samsung Galaxy Fold e o Huawei Mate X também demoraram mais tempo para chegar às lojas pois precisaram de ajustes para evitar problemas de resistência e durabilidade. O Fold só chegou ao Brasil neste mês custando R$ 13 mil.

Apesar de não mencionar questões desse tipo nos comunicados sobre os atrasos da pré-venda, a Motorola já avisou os consumidores que “elevações e protuberâncias” no Razr são algo comum.

Se a primeira geração de smartphones dobráveis apostava em aparelhos do tamanho de tablets que podiam ser dobrados para caber no bolso, a Motorola tomou um caminho diferente e trouxe de volta o formato flip, que fazia bastante sucesso nos celulares dos anos 2000. O Razr não deve ficar muito tempo sozinho neste segmento, já que notícias dão conta de que a Samsung também prepara um aparelho com este formato, o Galaxy Z Flip.