Olha só, mais uma atualização no chatíssimo arranca-rabo entre a Apple e a Epic Games. Em um comunicado à imprensa, a Epic diz que a Apple não está mais permitindo que a empresa autentique jogos ou patches para distribuição em computadores Mac.

O que isso significa efetivamente é que a Epic não pode assinar atualizações ou corrigir bugs. E, como resultado, a empresa decidiu que, a partir de 23 de setembro, o jogo não estará mais disponível no macOS.

“Estamos emitindo um reembolso para todos que compraram o Save the World Founder’s Pack ou Starter Pack (incluindo upgrades) e jogaram Save the World no macOS entre 17 de setembro de 2019 e 17 de setembro de 2020”, diz o comunicado à imprensa. O lançamento diz também que qualquer pessoa que comprou V-Bucks ou Llamas no macOS também será reembolsada e que, desde ontem, não é mais possível comprar o Save the World Starter Pack na plataforma.

Se você tinha o jogo, não precisa realmente fazer nada para obter o reembolso, mas ele pode demorar até 2 de outubro para aparecer na sua conta. Além disso, a Epic diz que V-Bucks ou itens que você comprou permanecerão na sua conta, e se você escolher migrar para Xbox, PlayStation ou PC, todas as suas coisas serão transferidas automaticamente.

Dito isso, o Save the World não é o único título impactado no macOS. Embora ainda seja possível jogar Fortnite: Battle Royale na versão 13.40, você também não receberá mais atualizações. Isso significa que o jogo já era para a maioria dos jogadores.

Histórico

Essas notícias não são nada surpreendentes para quem está acompanhando todo o drama jurídico do caso. Na semana passada, a Epic observou que os usuários que usam IDs da Apple para acessar suas contas teriam que trocar suas informações a partir de 11 de setembro; posteriormente a Apple disse ao Gizmodo que não faria nada para impedir que as contas continuassem funcionando.

Isso aconteceu depois de a Apple ter encerrado a conta de desenvolvedor da Epic para iOS no final de agosto, cumprindo uma ameaça que tinha feito. Poucos dias antes disso, a Epic anunciou que não iria distribuir a atualização de 27 de agosto do Fortnite para iOS ou macOS por uma questão de princípios.

Isso tudo, é claro, é parte das consequências da tentativa pirotécnica e descarada da Epic de contornar o “Imposto da Apple”, como vem sendo chamada a comissão de 30% sobre qualquer transação no aplicativo no iOS. Como resultado, a Apple chutou o Fortnite da App Store.

A Apple e a Epic Games terão que brigar no tribunal, mas parece que não haverá fim para os dramáticos comunicados de imprensa e críticas de lado a lado. Na primeira audiência, um juiz decidiu que sim, a Apple estava autorizada a remover o Fortnite, mas sua tentativa de também cortar o acesso ao Unreal Engine foi negada.

Desde então, a Epic também pediu ao tribunal para colocar o Fortnite de volta na App Store, bem como restaurar sua conta de desenvolvedor. E você sabe que a Apple nunca vai deixar a Epic dar a última palavra, então ela entrou com uma ação judicial buscando indenizações compensatórias e punitivas por enviar um “cavalo de Troia” para a App Store, alegando que isso prejudicou sua reputação.

Por mais entediante que seja recontar cada detalhe, o resultado da guerra entre a Apple e a Epic Games terá um enorme impacto. A Epic não é a única empresa a atacar a tal comissão e, caso ganhe, o efeito cascata sobre o controle ferrenho da Apple sobre a App Store seria enorme. Somado a isso, a empresa está atualmente enfrentando um escrutínio antitruste, o que torna sua tentativa de intimidar a Epic para que ela cumpra os contratos é uma estratégia questionável.

Enquanto isso, aperte os cintos e pegue seu balde de pipoca. A briga não tem data para acabar. A próxima audiência está marcada para 28 de setembro. Depois disso, todos nós podemos esperar mais uma rodada de Apple e Epic lançando comentários maliciosos e acusações de que a outra é feia, boba, chata e tem cara de mamão.